Buscar
  • Instituto ESPE

O Édipo em Lacan

O Complexo de Édipo constitui, desde os passos inaugurais de Freud, uma importante plataforma para se localizar o drama e a tragédia que caracterizam as trilhas do ser humano. Longe de nos apresentar um enredo estereotipado e pré-estabelecido, o Édipo nos mostra como que o caminhar humano, em suas relações com a realidade, a alteridade, o corpo e o desejo é sempre claudicant, atravessado por dizeres que lhe antecedem e repleto de esfinges a serem minimamente elucidadas. A partir de Lacan, podemos enfatizar uma leitura do Édipo como sempre comportando uma estrutura onde o vivente se depara com o ineliminável enigma do desejo do Outro que lhe antecede e seu lugar diante disto que, para se constituir como sujeito, há de inicialmente se alienar para, posteriormente, se separar.







DICAS DE LEITURA PARA APROFUNDAMENTO BIBLIOGRÁFICO:


QUINET, Antonio. Édipo ao pé da letra; fragmentos de tragédia e psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 2015


DE AZEVEDO, Ana Vicentini. Mito e Psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.


ELIA, Luciano. O conceito de sujeito. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.





Gostou do conteúdo? Assine gratuitamente o Instituto ESPE e receba conteúdos diários de Psicanálise!




56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo