top of page
  • Foto do escritorInstituto ESPE

O Imaginário e a Psicanálise Lacaniana

Atualizado: 14 de mai. de 2023

Freud nos apresenta as bases do que vem a ser tido, por Lacan, como umas três dimensões constitutivas da subjetividade (Real, Simbólico e Imaginário) a partir de suas formulações sobre o narcisismo. Para Freud, o narcisismo não é exatamente uma característica ou um predicado que poderiam ser atribuídos a uma ou outra pessoa, mas uma plataforma constitutiva da identidade e da possibilidade de nos vermos, por um lado, como separados e, por outro, em convivência com um semelhante (um outro ego). A partir destas formulações, Lacan vai estabelecer o Imaginário como o espaço subjetivo onde nos encontramos (e nos identificamos) com as imagens, onde também nos apresentamos por meio de imagens uns aos outros, nos encontramos e nos estranhamos mutuamente.




 


DICAS DE LEITURA PARA APROFUNDAMENTO BIBLIOGRÁFICO:


QUINET, Antonio. Os outros em Lacan. Rio de Janeiro: Zahar, 2012


RIVERA, Tânia. Cinema, imagem e psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 2008


SOUZA LEITE, Márcio Peter. Psicanálise lacaniana; cinco seminários para analistas kleinianos. São Paulo: Iluminuras, 2010


JULIEN, Philippe. O retorno a Freud de Jacques Lacan; a aplicação ao espelho. Porto Algre: Artes Médicas, 1993




 

Gostou do conteúdo? Assine gratuitamente o Instituto ESPE e receba conteúdos diários de Psicanálise!




671 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page